quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Orégano

Este, todos conhecem: é o best-seller dos temperos. Não há pizza que se preze sem ele. Vai muito bem também em carnes, molhos para bifes, saladas (tomates, cebola em rodelas, óleo, vinagre, sal, pimenta-do-reino e, lógico, o próprio orégano). Pode ser usado seco ou fresco. 

Principais utilizações: Suco de tomate, patês, torradas temperadas, Pizzas e minestrone, Batata cozida ou ao forno, Ovos mexidos com tomate, omeletes, Cozidos de carne de porco, costelas e aves, Peixes assados e frutos do mar, Vinagrete e molhos em geral 
O orégano ou orégão (Origanum vulgare) é uma erva perene e aromática, muito utilizada na cozinha do Mediterrâneo e também para fazer alguns medicamentos antigamente. São utilizadas as suas folhas, frescas ou secas, pelo sabor e aroma que dão aos pratos. Considera-se que as folhas secas tem melhor sabor. O orégano é um condimento mais conhecido como uma folha repartida, várias folhas dele são picotadas para darem aroma e sabor.
                                               
Várias espécies do genêro Origanum são nativas do Mediterrâneo usadas como tempero. A influência do clima, tempo e fertilidade do solo na composição dos óleos essenciais que dão seu aroma característico é maior que a diferença entre as varias espécies. Uma planta muito parecida é a manjerona, que tem um sabor um pouco diferente por causa de compostos fenólicos presentes em seus óleos aromáticos com alguns efeitos alucinógicos.
Orégano tem alta atividade antioxidante pela presença de ácido fenólico e flavanoides. Adicionalmente tem propriedades antimicrobianas contra bactérias como Listeria monocytogenes e outros patógenos presentes nos alimentos, o que faz com que ajude a preservar alimentos.
É um ingrediente insubstituível na culinária italiana, onde é utilizado em molhos de tomate, vegetais refogados, carne, e na pizza. Junto com o manjericão dá o caráter da culinária italiana.
Em Portugal os orégãos são indispensáveis na confeção de caracóis, e é usado também em caldeiradas e em saladas de tomate e queijo fresco ou requeijão.
Aparece também, ainda que em menor medida, nas cozinhas espanhola, francesa, mexicana e grega.

Nenhum comentário:

Postar um comentário