segunda-feira, 20 de junho de 2016

Vinagres


Intensamente utilizado em uma variedade de pratos culinários, o vinagre é um item indispensável na cozinha. Para temperar saladas ou realçar o sabor de carnes e peixes, o produto, resultante da fermentação ácida de certas bebidas, pode ser encontrado em versões que vão desde o vinagre de maçã ao de champanhe.
Além das saladas e maioneses, o vinagre pode atuar como conservante e agente de amaciamento de carnes temperadas, legumes em conserva, bem como molhos de pratos quentes. Ele pode ser utilizado em peixes, frutos do mar, aves e risotos.
Os cítricos são ideais para pratos com pimenta vermelha, temperos de folhas e também queijos. Os de arroz combinam com pratos japoneses como sushis e sashimis. Os de vinho branco e de frutas proporcionam o equilíbrio harmônico entre doçura e acidez.
Cada tipo de vinagre é indicado para itens culinários diferentes e na hora de escolher o vinagre certo é fundamental observar se a intensidade de cada tipo está associada com a do sabor do alimento. Confira sugestões para ajudá-la a escolher o vinagre certo.
Existem vinagres para todos os gostos no mercado, mas, na hora de escolher qual comprar, é primordial averiguar rótulo, embalagem e validade, para obter um alimento seguro. Fique atento no aspecto do produto, se está límpido e sem substâncias ao fundo da embalagem; a cor deve estar de acordo com a matéria-prima de origem e o odor precisa ser característico.

Eles possuem entre 4% e 14% de ácido acético e são fabricado sem duas fases: primeiro, a levedura ou outros fermentos são adicionados para transformar os açúcares naturais dos ingredientes básicos em álcool. Após esse processo, as bactérias são introduzidas para converter o álcool em ácido acético.
ÁLCOOL: é o vinagre preparado com base na cana-de-açúcar, sendo o mais forte de todos e apresenta elevada porcentagem de álcool. Utilizado mais em conservas.

AROMATIZADOS: os vinagres também podem ser aromatizados com ervas, especiarias ou alho e são indicados para pratos com molhos e saladas.

ARROZ: é um vinagre japonês obtido pela fermentação do arroz. Tem gosto mais suave e ligeiramente adocicado. É misturado ao arroz cozido para fazer sushi.

BALSÂMICO: é o mais nobre de todos os tipos. É um condimento refinado de aspecto denso e escuro e com sabor acentuado agridoce. Utilizado para realçar o sabor das receitas, ele é um condimento distinto devido ao processo de elaboração e às características aromáticas que adquire. Tem propriedades estimulantes que favorecem a secreção do suco gástrico, colaborando assim no processo de digestão. É recomendado para aromatizar saladas, carnes, peixes, no preparo de molhos e até sobremesas.

MEL: obtido pela fermentação do mel puro. Usado para elaboração de doces e xaropes.

AGRIN: é o mais utilizado na cozinha brasileira. É o tipo mais ácido, pois contém acético de álcool na composição. Preço mais acessível e comum em qualquer região do país.


MAÇÃ: Elaborado a partir da fermentação do suco de uma variedade de maçã, o vinagre de maçã é o menos ácido. Por isso, é indicado no preparo de pratos frios como saladas e conservas. Além disso, pratos agridoces também ficam excelentes quando preparados com vinagre de maçã.


CHAMPANHE: Segundo a Associação Nacional das Indústrias de Vinagre, trata-se de um produto de sabor elegante, como a bebida da qual procede. Esse tipo de vinagre possui leve sabor adocicado e é muito utilizado no preparo de legumes cozidos.

XEREZ: Produto típico da Espanha, possui sabor delicado e exclusivo. É indicado no preparo de saladas, para aromatizar pescados e carnes brancas e também no preparo de alguns tipos de drinques.

TINTO: rico em flavonoides, o vinagre tinto reduz o colesterol, diminui o risco de infarto e derrame. A substância previne contra o câncer, pressão alta e ajuda a não engordar.


http://revistavivasaude.uol.com.br/guia/conheca-os-tipos-de-vinagre/2387/#

Nenhum comentário:

Postar um comentário